domingo, 14 de abril de 2019

Viagem de férias - Patagônia Chilena - última parte

Após os dias maravilhosos em Torres del Paine, ainda restavam alguns dias de férias. Ainda fizemos um passeio bem legal em Puerto Natales, que foi a visita aos Glaciares Balmaceda e Serrano, num passeio de barco de dia inteiro, pela empresa de Turismo 21 de Mayo. É um passeio bem caro, mas o barco tinha uma ótima estrutura e achamos bem legal. O único problema é que o tempo esteve péssimo durante quase todo o dia, muito nublado e chuvoso, o que prejudicou bastante. Na volta estava incluso um almoço em uma típica fazenda patagônica, muito gostoso, e só depois dessa última parada foi que o tempo abriu um pouco. De qualquer maneira valeu a pena. 
Também tivemos tempo de passear mais pela cidade e curtir a ventania desenfreada.


Passeio de barco

Colonia de Cormorões


Glaciar Balmaceda


Glaciar Balmaceda



Glaciar Serrano

Glaciar Serrano


Trilha pelo Parque O'Higgins


Barcos Turismo 21 de Mayo

Brindando com gelo do glaciar

Estancia Perales



Estancia Perales - finalmente sol!



Fiordo Ultima Esperanza


No dia seguinte voltamos a Punta Arenas, onde ficamos somente uma noite para então pegarmos o voo para Santiago. Visitamos alguns pontos turisticos da cidade, como o Mirador Cerro de La Cruz, onde se pode ver toda a cidade, e um parque muito legal para crianças chamado Maria Behety, que infelizmente se encontra meio abandonado. 
Até a próxima, Patagônia!!!

Ruta del Fin del Mundo

Mirador Cerro de la Cruz

Parque Maria Behety


Clara fez 9!

Clara fez 9 anos em fevereiro e acabei não postando nada! Tem sido difícil conseguir postar aqui no blog, mas não quero deixar de registrar mais um ano da minha pequena, agora nem tão pequena assim! 
Este ano inovamos nas comemorações e viajamos. Clara ama festa de aniversário e, apesar de estarmos há alguns anos falando que não faríamos festa, acabávamos fazendo diante dos pedidos dela. Este ano propus de irmos conhecer o Beto Carrero World e ela topou. 
Planejamos uma viagem de 4 dias, sendo 2 de parque e outros 2 para fazer mais alguma coisa pela região. Nos hospedamos em Penha, na Pousada Rosália, e gostamos bastante. A pousada é simples, mas nos atendeu perfeitamente, com bom atendimento e uma grande vantagem: eles levam e buscam no parque sem cobrar nada. 
A viagem foi bem legal, apesar que no dia do aniversário mesmo choveu pesado o dia todo, o que nos impediu de aproveitar o parque. Ficamos o dia inteiro por lá, mas só conseguimos ver os shows. Vimos o Excalibur, Acqua, Madagascar e Beto Carrero. Gostamos de todos, mas foi bem frustante não ter conseguido ir nos brinquedos. A chuva estava muito forte, chegou a alagar várias partes do parque. Por sorte no dia seguinte fez um sol maravilhos e, como já havíamos ido aos shows, conseguimos ir em todos os brinquedos e até repetir alguns. 
No terceiro dia decidimos ir até Blumenau, mas eu fiquei bem resfriada e não conseguimos aproveitar muito. No ultimo dia fomos até Camboriú, visitamos o Parque Unipraias. Subimos no teleférico até o alto do morro, onde andamos no trenó, super divertido,e vimos os mirantes. Não pudemos ir na tirolesa porque a Clara não tinha altura. Depois descemos até a praia, onde almoçamos. 
Foi uma viagem bem divertida e a Clara gostou bastante. (Mas já avisou que no ano que vem vai querer festa mesmo. rssss)
Parabéns para a minha pequena, que ela continue sendo essa pessoa linda e que seja sempre muito feliz!

Temporal do primeiro dia

Lindo carrossel da praça de alimentação

Show Acqua

Show Madagascar

Dia de sol = felicidade!












Que dia feliz!

Trenó do Unipraias

domingo, 10 de março de 2019

Torres del Paine - Patagonia Chilena - Parte 3

Parque Nacional Torres del Paine - Dias 2 e 3


O segundo dia em Torres del Paine amanheceu lindíssimo, com as Torres totalmente descobertas. O café da manhã com aquele visual foi inesquecível.
Saímos em seguida para aproveitar bem o dia. O vento tinha diminuído tornando tudo mais agradável. Na portaria Laguna Amarga tinha fila, mas como já tínhamos ingresso não tivemos que esperar. Seguimos no mesmo sentido do dia anterior, com destino ao Mirador Cuernos.
Novamente muitos guanacos pelo caminho e paisagens lindas. Minha filha adora animais e tem uma predileção por raposas, estava louca para vez um zorro. Nesse primeiro trecho vimos 2, ela ficou eufórica! Ficamos muito felizes com a sorte que tivemos!
Nossa ideia original era pegar o barco e atravessar até o Refúgio Paine Grande, dar uma caminhada pela trilha no sentido do Refúgio Los Cuernos para ver o visual. Para isso fomos direto até o Porto Pudeto. No entanto quando chegamos lá, os horários de travessia estavam diferentes do divulgado no site, não teria a travessia de volta às 14:35, o próximo horário seria às 17, o que ocuparia praticamente todo o nosso dia. Com tantas coisas para fazer desistimos da travessia. 
Seguimos então até o estacionamento do Salto Grande, onde fica o início da trilha para o Mirador Cuernos. Essa trilha é curta, dá mais ou menos 1 hora de caminhada até lá, e achamos que dava para encarar com a Clara. Valeu muito a pena, o visual é realmente fantástico. O vento castigou bastante, Clara reclamou um bocado, mas todos curtimos muito. Passamos um bom tempo admirando o lugar, fizemos um lanche e depois voltamos calmamente, passando dessa vez pelo Salto Grande.
Voltamos até o carro e seguimos mais um pouco, sempre acompanhando o lago Pehoe, até a Hosteria Pehoe, lugar com uma das vistas mais incríveis do Parque, onde paramos para almoçar. Pedimos hamburgueres para nós (o preço era mais razoável) e um menu do dia para a Clara (ela não gosta de hamburguer), estava tudo muito bom, especialmente o prato da Clara (rsss).
Depois de comer muito bem, continuamos nosso roteiro seguindo até Lago Grey. Pegamos algumas obras na estrada, o que fez com que demorasse mais que o esperado. Lá tem outra área de visitação, com lanchonete, mercadinho, banheiros, além de uma trilha curtinha até a beira do lago, onde algumas vezes se consegue ver blocos de gelo que se desprendem do Glaciar Grey. Um pouco distante ficam o hotel e o restaurante, que acabamos não indo conhecer. A trilha começa com a travessia em uma ponte pênsil sobre um rio revolto, me deu um certo medo de atravessar, passei o mais rápido que pude, já o Jorge e a Clara foram tranquilos (até demais para o meu gosto). A trilha passa por uma floresta de Lengas (árvore típica) bem bonita, mas o lago em si não achamos muito interessante. Existe um passeio de barco que sai do Hotel Grey que passa perto do Glaciar, mas custa bem caro e acabamos não fazendo.
Na volta demos uma passada na Sede Administrativa do Parque, onde tem informações turísticas sobre história, geologia, botânica, animais nativos e uma linda maquete do parque.
Pensamos em ir até a Portaria Serrano, procurar outro local para jantar, mas já havíamos rodado bastante e preferimos voltar com calma até nosso Refúgio. Foi um dia super gostoso, com clima perfeito, voltamos felizes e agradecidos. Jantamos no Refúgio mesmo e fomos dormir cedo.
No dia seguinte, infelizmente nosso ultimo em Torres, entramos mais uma vez pela Portaria Laguna Amarga e seguimos até o Refúgio Las Torres, que é o ponto de partida para boa parte das trilhas. Este é o último local onde se pode chegar de carro particular, a não ser que se esteja hospedado no Hotel Las Torres, que fica bem próximo.
Paramos e ficamos admirados com a excelente estrutura que foi construída ali, com lanchonete, mapas explicando as trilhas, lojinha, ótimos banheiros. Dali também é possível avistar de longe uma das opções de hospedagens mais interessantes dentro do Parque, os Ecocamp, o chamado Glamping, um tipo de camping bastante luxuoso, pena que são caríssimos!
Caminhamos até o Hotel Las Torres, observando as pessoas passando para as trilhas. Confesso que deu uma saudade grande de quando eu também passei por ali, há muitos anos atrás, começando a trilha de 6 dias. Voltamos até a cafeteria próxima do refúgio, tomamos um café / suco, pegamos o carro e voltamos até o Refúgio Laguna Amarga, onde pegamos nossas malas e partimos rumo a Puerto Natales.
A viagem de volta foi super tranquila, passamos novamente no El Ovejero em Cerro Castillo (dessa vez não tinha empanada...). Em Puerto Natales ficamos em outro hotel, o Hostal America. Gostamos bastante desse hotel também, o pessoal era muito simpático, hotel bem novo e confortável.
Como chegamos cedo ainda deu tempo de dar mais uma volta pela cidade. A noite jantamos no El Asador Patagonico, onde comemos uma carne maravilhosa, recomendamos muito! 

Vista do Refugio Laguna Amarga


Avistamos Zorros, para a alegria da Clara



Trilha para o Mirador Cuernos

Mirador Cuernos

Mirador Cuernos



Salto Grande




Ponte para o Hotel e Restaurante Pehoe

Ponte na trilha do mirante Grey

Mirante do Glaciar Grey

Glaciar Grey - vista com muito zoom

Vista das montanhas do lado do Grey

Sala do Refugio Laguna Amarga

Refugio Laguna Amarga

Caminho para o Hotel e Refugio Las Torres


Cafeteria Las Torres

Lago Sarmiento - Até a próxima Torres del Paine!

Visuais inesquecíveis