terça-feira, 11 de agosto de 2015

Novas profissões

- Mamãe, sabe o que eu vou ser quando crescer? Vete......... (ela espera que eu advinhe)
- Veterinária???
- Isso!!! E sabe o que mais eu vou ser? Pro......
- Professora?
- Acertou! Vou ser veterinária e professora. E vou falar pros meus alunos: vamos brincar no parque de areia o dia inteirinho!!

Que lindas escolhas, minha filha!!! Eu sempre disse que seria veterinária, mas acabei seguindo outros rumos. Independente do que você escolha, só quero que seja feliz e realizada.

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Superpoderes

Clara anda numa onda de querer ter superpoderes. Já tocou nesse assunto várias vezes, uma vez disse que ia pedir para o Papai do Céu dar poderes a ela e quando eu perguntei que poderes seriam esses, ela disse que queria ter poder de transformar ela mesma, nós pais e os amigos nos personagens que ela quisesse brincar. Ontem ela falou de novo que queria muito poder se transformar no que ela quisesse. O mais engraçado é em que ela quer se transformar, geralmente é em unicórnio ou no Alvim e os esquilos (desenho da moda atual) ou em qualquer outro bichinho de desenho. Depois me perguntou se alguém tem esse poder e quando eu disse que não ela ficou meio decepcionada.

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Dormindo fora!

Não posso deixar de registrar a primeira vez que a filhota dormiu na casa de uma amiguinha! Mês passado a mãe da Nicole convidou e como confio muito neles acabei deixando, foi uma farra! As 2 brincaram e viram filme até tarde, foram dormir de madrugada. Muito crescida essa minha menina!

domingo, 12 de julho de 2015

Saint Martin - Caribe - Ultima parte

Dando continuidade aos relatos da nossa viagem para o Caribe, agora vou falar sobre os dias que passamos em Saint Martin, a parte francesa da ilha.


Nesta parte da viagem optamos por ficar em Marigot, em apartamento alugado pelo AirBnb. O apartamento não fica bem no centro da cidade, mas fica próximo à Marina Royal, onde há diversas opções de restaurantes e algumas lojinhas interessantes. O condomínio fica à beira mar, e tem uma ótima prainha. O apartamento era simples e pequeno, mas atendeu ao que buscávamos. Quando chegamos de St. Barth, entrei em contato por telefone com a proprietária, que enviou um amigo para nos entregar as chaves. Eles nos recebeu, deu várias dicas interessantes e foi bastante simpático.

As praias que visitamos nesse período foram:

- Anse Marcel - sem dúvida uma das minhas preferidas. Mar muito calmo e azul, lindo demais! Há um grande resort nesse local, muito bonito por sinal, mas o acesso à praia é livre, como todas as outras da ilha. Pegamos cadeiras de praia e guarda sol no Restaurante Anse Marcel Beach, onde também almoçamos. O restaurante é excelente, estrutura bonita e agradável, bom atendimento, comida gostosa, cardápio variado (PS: a comida demora bastante pra sair, então é bom se programar antes da fome das crianças). Logo na chegada é possível e recomendável fazer a reserva para o almoço para não ter problema em conseguir mesa. Fomos a Anse Marcel duas vezes nesses dias. Na primeira vez logo depois que chegamos percebemos que Clara estava com febre novamente, então ficamos só um pouco, almoçamos e fomos embora. Depois da febre ter voltado entramos em contato com o médico e não teve jeito, foi preciso entrar com o antibiótico, e só então minha pequena melhorou de vez. Na segunda vez que fomos a Anse Marcel passamos bastante tempo, almoçamos e aproveitamos bastante a praia.

- Grand Case - almoçamos no restaurante Le Soleil, que fica na beira da praia e gostamos da comida.  Após o almoço foi só descer as escadas e usar as cadeiras disponíveis na areia para os clientes. A praia é urbana, com várias construções, não é exatamente bonita, mas a água é ótima assim como das outras praias. Havia um pier de onde diversas pessoas pulavam no mar e claro que o Jorge foi dar uns mergulhos.

- Friar's Bay - Pode não ser uma das mais conceituadas praias de St. Martin, mas foi uma das que mais gostamos. A água estava simplesmente fantástica. O Jorge deu uma esticada até Happy Bay, por uma trilha rápida e tranquila, achou a praia linda e a água igualmente ótima.

- Anguilla - Uma outra ilha próxima. Fomos de barco saindo de Marigot, tem diversos horários ao dia. Na chegada a Anguilla pegamos um taxi até Shoal Bay Beach ($31 por trecho!). O taxista nos deixou em um restaurante da praia (Hank's Restaurant) dizendo que era um dos melhores, mas não achamos grande coisa. As cadeiras de praia eram gratuitas para quem consumir no restaurante e acabamos ficando por lá mesmo. Não sei dizer se há outros melhores. A praia é realmente maravilhosa, areia muito branca em contraste com o mar azul. No dia que fomos o tempo não estava dos melhores, o mar estava um pouco agitado mas mesmo assim foi ótimo.

Outros destaques:

- Sarafina's - Excelente padaria em Marigot, em frente a feira de artesanato, à beira mar. Diversas opções para o café da manhã e lanches, tudo muito gostoso (até hoje sonho com os cafés deliciosos que tomamos lá).

- La Rosa Restaurant - um italiano bem gostoso em Maho Bay.

- Fort Louis - legal para ver a vista de Marigot.

- Supermercado Super U, muitas opções incluindo comidas prontas, pães, etc.

E agora algumas fotos:

O apartamento em Marigot e nossa prainha quase particular:







Anse Marcel:







Grand Case:






Friar's Bay e Happy Bay:



Trilha para Happy Bay

Happy Bay

Friar's Bay 


Anguilla - Shoal Bay:






 Fort Louis:

O predio que ficamos visto do Forte



sábado, 20 de junho de 2015

Saint Barthelemy - Um paraíso no Caribe

Embarcamos no Ferry Boat da empresa Voyager, bem confortável e pontual, e mais ou menos uma hora depois estávamos nesse paraíso que é St. Barthelemy ou St. Barth. O carro já estava reservado com uma pequena locadora (Welcome) indicada pelo hotel. Além de barato (30 euros por dia + 11 de seguro), nos buscaram e nos deixaram no porto de Gustavia. Pegamos o carrinho mais barato, e lá é bom que o carro seja pequeno mesmo porque as vias são muito estreitas, com muitas curvas e inclinações enormes, além de um grande movimento. 
O ferry que pegamos, Voyager 3, é bastante estável, mas apesar disso Clara passou um pouco mal e a viagem parecia não terminar nunca. Nesse dia ela também teve uma febre bem alta e acabamos tendo que ficar mais tempo no hotel, mas ainda bem que no dia seguinte ela estava melhor e conseguimos aproveitar. 

Hotel: Normandie Hotel, reserva direto no site do hotel.
Gostamos do hotel, o staff é muito simpático e fala português! Aliás nessa ilha há muitos portugueses, então é bem comum encontrar pessoas que falam nossa língua. Normalmente não permitem 3 pessoas no quarto, somente um bebê junto com os pais, porque os quartos são pequenos e não cabe cama extra. Consultamos o hotel e a senhora Eula, muito simpática, disse que se a Clara dormisse conosco estava tudo bem, então efetuamos a reserva. A localização é boa, fica em Lorient, que é mais ou menos no meio da ilha, facilitando o acesso para todos os lados. Os quartos são pequenos, mas diante dos custos altíssimos de hospedagem em St. Barth, achamos que o Normandie tem um bom custo-benefício. Ah, tem um café da manhã simples mas gostoso, com pães e croissants fresquinhos.

Logo depois de nos acomodarmos saímos para conhecer a primeira praia: Anse de Grand Saline. Depois de uma rápida caminhada, chegamos na praia encontramos o mar um pouco batido e a praia cheia de algas. Como Clara não estava bem, demos meia volta e decidimos ir logo almoçar. Bem próximo tem um restaurante, o Le Grain de Sel. Um bom restaurante, cardápio interessante e comida gostosa. Depois disso fomos até outra praia, Anse de Flamands, onde ficamos por um tempo, mas só o Jorge se animou a entrar na água. Depois demos mais uma volta de carro pela ilha, fomos ao supermercado e voltamos para o hotel.

Ficamos sem saber se a Clara melhoraria no dia seguinte e não fizemos grandes planos. Uma das praias mais interessantes de St. Barth é Colombier, mas para chegar lá tem uma trilha relativamente grande. Pela manhã Paula, a funcionária do hotel, nos disse que havia uma trilha mais leve para a praia e que achava tranquilo irmos com a Clara. Nos explicou como fazer e nós seguimos pra lá. Conversei com a Clara, que estava bem melhor, e ela topou (não muito animada, é verdade). A trilha não é puxada, dá mais ou menos quarenta minutos andando devagar, mas para criança pequena não é leve, tem muitas subidas. No final das contas deu tudo certo, chegamos inteiros e a praia realmente vale a pena, é maravilhosa. Não tem estrutura, cadeiras, bares de praia, etc, um verdadeiro paraíso. Por outro lado, quase não tinha sombra, conseguimos nos sentar encostados em um paredão. Ficamos um bom tempo, mas Clara não queria entrar na água, apesar do mar calmo, e acabou ficando um pouco ruim pra ela, por isso decidimos voltar logo. Na volta a caminhada castigou principalmente pelo sol muito quente, mas ela aguentou bem. Decidimos passar em outra praia, bem próxima de onde havíamos deixado o carro, La Petit Anse. Trata-se de uma praia bem pequena, protegida, mar muito calmo e transparente. Ótimo local para snorkel, adorei esse lugar! Depois disso voltamos para o hotel e mais tarde fomos até Gustavia para jantar. Acabamos optando por comer um crepe delicioso no La Creperie. 

Nosso último dia em St. Barth, seguimos logo cedo para a praia de St. Jean, ficamos bem ao lado do aeroporto, nos divertindo com os aviõezinhos pousando e decolando naquela pista tão pequena. St. Jean é uma praia lindíssima! Típica praia caribenha, com o mar mais azul possível e águas super calmas. Nós aproveitamos muito! Clara gostou muito mais dessa praia do que das 2 do dia anterior e se esbaldou. 

Voltamos para o hotel, arrumamos tudo e desocupamos o quarto. O problema é que só pegaríamos o ferry as 17 horas. As malas ficaram no hotel e saímos para almoçar. Praticamente ao lado do hotel tem um restaurante portugues bem interessante, o Le Portugal. O cardápio é fixo, 2 pratos do dia muito bem servidos. Muito barato, é frequentado por trabalhadores mais simples, e o único problema é que todos eles acendem os cigarros após comerem e o ar ficou irrespirável, mesmo na varanda! Comemos rápido pra sair logo dali.

Pegamos o carro e saímos rodando pela ilha. Passamos por algumas praias e apesar de ter sido bom para conhecer outros locais, com tantas curvas, descidas e subidas, Clara começou a passar mal e também voltou a ter febre, voltamos para o hotel e ficamos esperando dar nosso horário. Depois disso o pessoal da locadora nos deixou no porto de Gustavia e embarcamos de volta para St Martin, felizes em ter conhecido mais um paraíso do Caribe.

Obs.: Algumas praias que visitamos tem bares ou restaurantes e cadeiras e guarda-sol para alugar, mas pelo que vimos a maior parte não tem estrutura nenhuma, tais como Colombier, Anse de Grand Saline, La Petit Anse, Le Governeur.

Anse de Flamands

Início da trilha mais conhecida para a Praia Colombier, ao fundo

Trilha para Colombier, saindo de outro ponto

Colombier

Colombier. Ao fundo Clara na pequena sombra que conseguimos



Mais da trilha

La Petit Anse, excelente para snorkel e crianças



Gustavia


A maravilhosa St. Jean



Águas azuis de St. Jean

Ferryboat