quinta-feira, 17 de julho de 2014

França - Lourmarin, Roussillon e Gordes

Neste dia pegamos a estrada em direção ao Luberón. São inúmeras cidadezinhas interessantes nessa região, e escolhemos visitar Lourmarin, Roussillon e Gordes, as 3 estão entre as mais belas aldeias da França. Primeiro fomos para Lourmarin, cerca de 60km de Avignon. Levamos 1 hora para chegar, paramos o carro logo na entrada da cidade (estacionamento gratuito) e fomos caminhar pelas lindas ruazinhas estreitas. Suas ruas são cheias de cafés e restaurantes com mesas nas calçadas, a gente tinha vontade de sentar e ficar só curtindo o dia lindo de sol que estava fazendo, naquele lugar maravilhoso.

Das pequenas vilas que andamos por esses dias, Lourmarin foi a única que encontramos um parquinho pra Clara brincar. É provável que as outras também tenham, mas nós não encontramos. Deixamos a Clara brincar no parquinho, onde 2 irmãzinhas francesas vieram querendo fazer amizade. Clara é muito tímida e não quis a principio, mas a mais velha, muito fofa, não desistiu e ficou correndo atrás dela pelo parquinho. Muito simpática ela veio falar conosco, e eu pude colocar em prática o meu francês super básico (só dá pra falar com uma criança mesmo. Kkkkk). Elas brincaram um pouco e depois fomos todos embora. Logo depois chegamos a uma praça onde há uma linda fonte e o escritório de turismo da cidade. Lá Clara reencontrou sua amiguinha Anna e começaram a correr de um lado pro outro. Anna a levou pra conhecer a biblioteca que também fica na praça. Lá tem uma área muito legal para crianças, com mesinha, diversos livros legais e brinquedos. Claro que tivemos que ficar por ali um tempão e deixar a pequena se divertir. Enquanto isso fizemos comprinhas de azeites, ervas e sabonetes da região. Depois fomos almoçar e seguimos para a próxima cidade, Roussillon (27km). Logo na chegada há um estacionamento pago, onde paramos o carro. Por ser sábado havia bastante gente na cidade e o estacionamento estava bem cheio.

Roussillon é famosa por seus diversos tons de ocre. É uma típica vila da Provence que fica no alto de uma colina, nos fazendo suspirar diante de tanta beleza. Suas ruas estreitas em espiral nos levam até o topo, onde se tem uma visão espetacular de toda a região. Bem ao lado da cidade está o local de onde são extraídos os pigmentos coloridos que cobrem toda a cidade. A “pedreira” é aberta a visitação, é interessante andar por lá e observar as encostas coloridas em contraste com as árvores. Nós entramos e fizemos uma pequena parte da trilha, somente até o primeiro mirante, depois voltamos pois ainda queríamos ir a Gordes. Pra encerrar a visita a Roussillon passamos na sorveteria que fica bem ao lado do estacionamento (pago), onde há uma grande variedade de sabores, incluindo lavanda.

Gordes fica a menos de 10km de Roussillon. A cidade está no alto de uma colina, é uma vista deslumbrante a partir da estrada. Entramos num estacionamento pago e fomos explorar a cidade. O castelo e a igreja são os pontos mais marcantes, mas a cidade como um todo é linda. A cidade tem alguns mirantes de onde temos a visão muito ampla de toda a região.

Saímos de Gordes ainda com sol, no final do dia. No caminho decidimos parar em alguma cidadezinha para jantar, então entramos em L’Isle-sur-la-Sorgue, uma cidade cortada por canais rasos e de águas verdes, bastante charmosa. De cara avistamos um carrossel e a Clara se esbaldou, deu muitas voltas. Enquanto isso revezamos e demos uma circulada ali por perto. Assim que o carrossel fechou fomos jantar e depois voltamos para Avignon. Esse foi um dia muito proveitoso, visitamos 3 lindas cidades e ainda jantamos em outra. Claro que faltou muita coisa pra conhecer e acho que se eu pudesse ficaria vários dias somente rodando por essa região tão linda.

Vamos às fotos:

Lourmarin:






Roussillon:

Azeites maravilhosos








Gordes:








Isle-sur-la-Sorgue:


sábado, 12 de julho de 2014

França - Vaison la Romaine e Chateauneuf du Pape

Último dia do meu irmão conosco na viagem, ele voltaria para a Alemanha no dia seguinte, seguimos para Vaison de la Romaine, que fica a cerca de 50 km de Avignon. Na estrada vimos plantações de cerejas e mais adiante um local vendendo frutas, cerejas e morangos maravilhosos. Compramos ali as cerejas mais gostosas que já provamos na vida e as melhores da viagem.

Vaison de la Romaine é uma pequena cidade medieval, cortada pelo Rio L’Ouvèze, onde há uma ponte do século I. De um lado do rio, na parte alta está a cidade medieval com a ruína do castelo no ponto mais elevado. A caminhada até lá é uma delícia, passando pelas lindas ruas estreitas. Do outro lado do rio estende-se a maior parte da cidade, incluindo sítios arqueológicos romanos, que infelizmente não visitamos.

Nessa pequena cidade tivemos uma das nossas melhores refeições de toda a França, no Restaurante Le Bateleur. Pegamos o menu do dia e cada prato parecia uma obra de arte, lindo e delicioso, apenas achamos as porções muito pequenas, mas mesmo assim valeu a pena.

Depois de passear e curtir um pouco o visual na área de picnic bem na beira do rio, pegamos o carro e seguimos para Chateauneuf du Pape (35 km dali).

Chegamos em Chateauneuf e estacionamos o carro na primeira vaga que encontramos. Não havia nenhuma placa e saímos caminhando sem destino, só que para o lado oposto do local que realmente interessava na cidade (risos). Fomos até o final da cidade caminhando e só vimos uma grande ruína, mas essa parte da cidade realmente não tinha nada de interessante, parecia uma cidade normal, com construções mais novas. Depois de andar bastante, na volta é que encontramos a parte da cidade que realmente interessava, mais antiga, mas ainda assim não encontrávamos a famosa Cave de vinhos de Chateauneuf. Vimos várias caves pela cidade, mas não a que buscávamos. Já cansados finalmente encontramos o centro de informação turística e descobrimos que havíamos passado bem perto, era só subir na direção da ruína do castelo e a cave era no meio do caminho. Aproveitamos para visitar a ruína (que raiva quando descobri que lá tem um grande estacionamento e que nós andamos um monte desnecessariamente) e depois a Cave mais famosa da cidade, a Le Verger des Papes. O vinho de Chateauneuf é considerado um dos melhores da França, por isso a cidade está repleta de lojas que oferecem degustação. 

Para saber mais sobre a história de Chateauneuf du Pape recomendo este post:

Frutas à venda na estrada - as melhores

Ponte Romana de Vaison La Romaine

Entrada da cidade velha




No topo da cidade

Castelo de Vaison La Romaine

Sobremesa maravilhosa do Le Bateleur
Foto tirada pela Clara!

Ruína do castelo em Chateauneuf du Pape


Plantações de uva ao redor de toda a cidade


Cave Le Verger du Papes
Fotografando tudo!

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Viagem para a França: Provence - Avignon

Saímos de Moustiers-Sainte-Mairie na correria quando descobrimos que teríamos que pegar as chaves do apartamento alugado em Avignon até as 19 horas e estávamos no limite do tempo. Foi uma viagem meio tensa pois pelo cálculo do GPS chegaríamos depois desse horário. Quando finalmente chegamos à cidade (faltando 5 minutos para as 19), ligamos para o proprietário e ele disse que poderíamos ir direto ao apartamento que ele havia pedido para uma pessoa ir levar a chave. Assim fizemos e deu tudo certo. 

Como já falei neste post, não gostamos do apartamento alugado em Avignon. Ele fica no térreo de um prédinho de 4 andares e tem uma decoração de gosto duvidoso. Até aí tudo bem, o problema é que era mal equipado, tinha máquina de lavar mas não tinha varal, a cozinha faltava utensílios, o banheiro era ruim e a limpeza também deixou muito a desejar. Como Avignon seria nosso local de pernoite e passaríamos os dias rodando pelas cidadezinhas da Provence decidimos permanecer neste local mesmo, pois já havíamos pago e não queríamos ter o trabalho de pedir o cancelamento da reserva. 

A localização era boa, bem perto do Palais du Papes, do estacionamento gratuito Alless de l'Oulle e de fácil acesso, mas diferente dos outros lugares que ficamos, não havia mercadinhos, boulangeries nem restaurantes muito próximos. Era um lugar sem movimento e nos sentimos meio isolados. Aliás esta foi a impressão que tivemos de Avignon: uma cidade sem movimento, sem vida, muito diferente de Aix-en-Provence! No final de semana foi difícil até tomar café da manhã, pois tudo estava fechado. Provavelmente o local onde ficamos nos influenciou negativamente sobre a cidade, mas depois conseguimos andar por outras áreas e nossa impressão não mudou muito, parece ser realmente uma cidade muito pacata (e olha que nem somos baladeiros). Apesar disso, não deixa de ser uma cidade muito bonita, que com suas muralhas bem preservadas que circundam todo o centro histórico e o lindo Rio Rhône, vale muito a pena ser visitada.

Em Avignon visitamos o Palais du Papes, um magnífico Palácio que, juntamente com a Pont d’Avignon (ou Pont Saint Bénezet), Le Petit Palais e as muralhas da cidade, fazem parte de um conjunto arquitetônico tombado pela UNESCO como Patrimônio Mundial da Humanidade.

O Palácio dos Papas em Avignon foi sede da Igreja Católica por 68 anos no século XIV, quando os papas estabeleceram ali sua residência, se tornando palco de uma grande disputa de poderes, até que Roma conseguiu retomar todo o seu poder e levar de volta pra lá a residencia papal. Ao todo 7 papas moraram em Avignon, todos franceses.

O Palácio dos Papas se destaca como o poderoso símbolo da influência da igreja em todo o mundo cristão ocidental no século XIV. A construção foi iniciada em 1335 e concluída em menos de vinte anos sob a liderança de dois papas construtores, Bento XII e seu sucessor Clemente VI. Palácio Papal é o maior palácio gótico em toda a Europa (15.000 m2 de área útil, que é o equivalente a 4 catedrais góticas).

O visitante pode ver mais de 20 quartos, cenas de acontecimentos históricos, em particular aposentos privados do papa e os afrescos pintados pelo artista italiano Matteo Giovannetti. Palácio Papal também oferece ao visitante contínuas atividades culturais durante todo o ano.” (Fonte: http://www.palais-des-papes.com/fr)

É uma visita imperdível, o Palácio é de uma grandiosidade incrível, por dentro e por fora. Há exibição de vídeos contando a história do lugar, apresentação de maquetes mostrando como o Palácio foi mudando e aumentando em cada período e explicações escritas em fichas em várias línguas. Nós não pegamos audio-guia, mas também estão disponíveis. Não é possível entrar com carrinho de bebê. No alto da torre há um café que deve ter um visual fantástico, mas infelizmente quando fomos tinha acabado de fechar. Não foi uma visita muito longa pois fomos a tarde e Clara já estava cansada, mas valeu a pena. 

Já no final do dia saímos do Palácio seguimos para o Parque Rocher des Doms, que fica ao lado, onde encontramos 2 parquinhos e a pequena pode gastar energia. 

Em Avignon sempre deixávamos o carro no estacionamento perto do apartamento e só andávamos a pé. Como chegávamos cansados acabávamos não tendo animo de ficar procurando muito e íamos a lugares mais próximos. Por esse motivo em 3 noites fomos jantar na Place de l’Horloge, que é bem charmosa e cheia de restaurantes. Também tem um carrossel, que infelizmente fecha cedo, Clara conseguiu andar nele apenar uma vez quando chegamos mais cedo, nos outros dias estava sempre fechado. Quanto aos restaurantes não gostamos dos que fomos, por isso não vou cita-los. 

No dia que chegamos mais cedo e pudemos dar uma volta maior pela cidade encontramos um bom restaurante chamado L’Epicerie (http://www.restaurantlepicerie.fr/), que fica na Place Saint-Pierre. Finalmente comemos bem em Avignon! 

Nos demais dias nossa programação foi a seguinte: 
Dia 1 – Vaison de La Romaine e Chateauneuf du Pape
Dia 2 – Lourmarin, Roussilon e Gordes, jantamos em L'Isle Sur la Sorgue 
Dia 3 – Les Baux-de-Provence 
Dia 4 – Pont Du Gard, Uzes, Papais Du Pape em Avignon 
Dia 5 – Volta para Paris no trem TGV

Carrossel da Place de l'Horloge

Place de l'Horloge

Palais du Papes

Palais du Papes


Interior do Palais du Papes

Interior do Palais du Papes

Maquete do Palais du Papes






Parquinho no Rocher des Doms
Pont d'Avignon
L'Epicerie, um bom restaurante

Muralhas de Avignon