segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Feira de Leitura

Na escola da Clara tem o Projeto Mala do Livro e no final do ano sempre tem um encerramento do Projeto. Este ano a escola decidiu organizar uma feira de leituras. Durante o mês, os pais foram convidados a fazer alguma atividade nas salas de aula com as crianças, sendo que o foco principal era a leitura, então a maioria contou uma história. Dessa vez o Papai Jorge foi quem participou desta atividade, contando uma história escolhida pela Clara. Para a Feira em si, cada turma montou uma barraca com temas variado. A nossa foi de brinquedos, com venda de brinquedos usados doados pelos próprios alunos e de alguns biscoitos feitos pelas mães. O dinheiro arrecadado será usado para a compra de livros que serão doados para alguma instituição carente. 
Nossa barraca ficou linda e foi um sucesso, todos os brinquedos foram vendidos (os preços eram simbolicos, variando de 2 a 10 reais). No pátio central estava montada um pátio de leituras, onde os pais que leram histórias nas salas contaram a mesma história para quem quisesse ouvir, junto com a criança. No nosso horário tivemos um problema com o som que estava muito baixo e não estava dando pra ouvir nada, mas tudo bem, o que vale é a intenção... 
As crianças ficaram super felizes em participar de tudo e brincaram bastante, deu trabalho mas foi um dia bastante divertido!




domingo, 9 de novembro de 2014

Paris - Parte 7 - Final de viagem

Após a maravilhosa viagem que fizemos pelo sul da França, em Avignon pegamos um trem rápido para Paris e chegamos por volta da hora do almoço. Fomos para o novo apartamento, deixamos as coisas e já saímos rumo à Torre Eiffel. Havíamos comprado ingressos pela internet, com data e hora marcada. Quando chegamos nos informaram que poderíamos nos apresentar na entrada quando faltasse uns 10 minutos para o nosso horário. Ficamos animados achando que não teríamos que pegar fila. Doce engano, só não se pega a fila do lado de fora, a partir do momento que se chega lá dentro a gente entra na fila normalmente, junto com as centenas de pessoas, ou seja, aquele horário não quer dizer muita coisa. Estava uma grande confusão, lotado, ninguém para organizar, pessoas que não tinham ingresso até o topo misturadas às pessoas da fila, pessoas que fingiam estar olhando a vista e se enfiavam na frente da fila, enfim, um caos. Claro que vale a pena ir conhecer, mas com criança realmente não recomendo, muita espera e confusão. Na descida tinha uma fila enorme pra pegar o elevador, mas demos um volta e encontramos um outro elevador vazio, já descendo com pouquissimas pessoas, então foi mais tranquilo. Clara deu então várias voltas nos 2 carrosséis, da Torre Eiffel e do Trocadero e foi embora feliz da vida.

Dia seguinte foi o dia para a Clara, fomos para a Disney Paris. Pegamos o trem e conseguimos chegar na hora da abertura dos parques, as 10h. Não havíamos contado para a Clara que iríamos à Disney e ela ficou bastante surpresa e impressionada com tudo. Como nunca tínhamos ido à nenhum parque da Disney, ficamos bastante perdidos na chegada e perdemos um bocado de tempo tentando entender como funcionava tudo aquilo. Primeiro fomos até o Walt Disney Studios e ficamos até a hora do almoço, fizemos poucas coisas, bateu a fome e entramos no primeiro restaurante que vimos e era do Chef Remy, do Ratatuille. O sistema era de buffet, a comida variada e gostosa, e ainda tinha a atração do Remy circulando pelas mesas, com um garçom conduzindo, cantando e fazendo brincadeiras. Foi bem legal e valeu muito a pena. (Atualização: li que este restaurante iria se mudar para perto ou dentro da atração do Ratatuille, que foi inaugurada posteriormente.) 

Depois do almoço partimos para o parque Disneyland, que é bem parecido com o Magic Kingdom de Orlando. O parque é maravilhoso, lindo, decoração caprichada e agora que conheci o de Orlando (acabamos de voltar, vou escrever sobre isso depois), acho que não perde em nada, é tão legal quanto e estava mais vazio. Já havíamos entendido a dinamica e conseguimos aproveitar melhor nosso tempo mas ainda assim faltou muita coisa. Praticamente não entramos em 2 partes do parque: a Adventureland e a Frontierland, onde só fomos a noite, atrás de um restaurante, jantamos e fomos embora. Antes disso, ainda durante o dia, conseguimos assistir uma parada e foi muito legal, Clara ficou fascinada, pulou e gritou, principalmente quando viu a Elsa e a Ana. Ficamos cerca de 12 horas nos 2 parques e só saímos porque estávamos exaustos e ainda tinhamos que pegar o trem de volta, já era mais de 10 da noite e não sabíamos bem os horários do trem, por isso nem esperamos o encerramento com os fogos. Clara dormiu antes de sairmos do parque, pegamos o trem e chegamos bem tarde em casa. Achei que valeu demais essa ida à Disney Paris, nós 3 adoramos!

No outro dia fomos até o Jardim de Luxemburgo novamente e dessa vez a Clara pode aproveitar bastante o parquinho de lá, que da outra vez estava fechado. A gente paga uma taxa pequena pra entrar e pode ficar o tempo que quiser. O parque é bem grande e cheio de brinquedos, Clara brincou bastante. Depois demos um pulinho na Galeria Laffayette e assim encerramos nossa programação em Paris. Foi uma viagem maravilhosa!!!

Algumas fotos para finalmente encerrar os posts da França:

Torre Eiffel











O Remy se movimenta e parece interagir com as crianças





A alegria ao ver a Elsa, Ana e Olaf






Star Wars!


Parquinho do Jardim de Luxemburg



Galerie Lafayette, linda!

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Paris - Parte 6 - Parc La Villette

Esse era nosso último dia em Paris, antes de irmos para Carcassone (os posts ficaram fora de ordem, já contei essa parte aqui). Nosso trem saía a noite e tínhamos o dia todo livre. Decidimos fazer alguma coisa para criança e não sei como nos esquecemos dos Jardins de Aclimatation (muita raiva!). Partimos para o Parc La Villette, que fica bem distante, no limite da cidade, no 19arr. Para chegar até lá pegamos a linha 7 do metrô.

No mesmo local está a Cité des Sciences et de l'Industrie, mas apesar de achar um programa super interessante pra crianças acabamos optando por não entrar, pois nosso objetivo era o Jardin des Dunes et des Vents, um parque super legal que havíamos visto nos Blogs sobre Paris. 

Em La Villette fizemos uma caminhada bem agradável, atravessando o parque, os jardins, o Canal Saint Martin. Havia diversas pessoas praticando esportes, muitas crianças, mas como pudemos ver depois do almoço, estava bem vazio nesse horário. 

Clara logo avistou um carrossel e já correu para dar umas voltas, como sempre. Esse é um carrossel baseado nas histórias de Julio Verne, muito bonito. Nosso erro foi deixar que ela ficasse tanto tempo ali. Nesse horário o Jardin des Dunes estava bem tranquilo, e ela teria aproveitado bastante. 

Depois do carrossel já estava na hora do almoço e decidimos procurar um restaurante. Meu irmão que estava conosco decidiu voltar, então fomos para o lado da estação de metrô, onde encontramos um Restaurante Hippopotamus, que tem um cardápio bem interessante com bons preços, a decoração é otima, kids friendly, com balões de gás para as crianças e até brinquedoteca. Tivemos uma refeição super agradável, Clara ganhou lapis de cor, a comida estava otima. Demoramos bastante no restaurante e depois voltamos para a Clara finalmente brincar no Parque das Dunas.

Quando chegamos havia uma fila enorme para entrar! Bateu o maior arrependimento de não ter aproveitado a manhã para entrar. A fila não andava, pois só liberavam a entrada quando as pessoas iam saindo. Acho que levamos mais de meia hora pra entrar e quando entramos estava tudo cheio. Clara gostou, ficou empolgada com os brinquedos do parque de areia, mas mais ainda com os pula-pulas. O problema era a lotação. Os brinquedos tem indicações de idade, mas os maiores não estavam respeitando isso. O pula-pula de 3 a 5 anos estava perigoso com crianças bem maiores atropelando, dando mortais, e ninguém falava nada. Ficamos cerca de uma hora, meio tensos com a situação e decidimos ir embora. O Jardin das Dunas é bem legal, só está precisando um pouco de manutenção. A proposta é diferenciada e muito lúdica, mas nós fomos no final de semana a tarde, então a lotação (e a falta de educação) realmente atrapalharam um pouco, mas o importante é que a Clara curtiu, então valeu a pena. 

Pegamos o metrô até o Marais e fomos caminhar pela cidade, curtir o dia lindo que estava fazendo.

Parc la Villette

Cité des Sciences et de l'Industrie

Carrossel Julio Verne


Restaurante Hippopotamus

Jardin des Dunes et des Vents


Jardin des Dunes et des Vents

Jardin des Dunes et des Vents

Paris, ah, Paris...



segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Paris - Parte 5 - Palácio de Versailles

Dia seguinte após a greve, lá fomos nós rumo ao Palácio de Versailles. Eu já imaginava que estaria mais cheio do que o normal, pois todo mundo que tinha ingresso pro dia anterior, como era o nosso caso, provavelmente iria neste dia, e realmente estava muito lotado. Nós fomos de trem e assim que chegamos foi só seguir o fluxo da multidão que ia para o Palácio. Do lado de fora dos portões a fila era gigantesca. Confesso que já me bateu um desanimo, mas não queria desistir do passeio. Assim que entramos na fila, um funcionário nos viu com o carrinho da Clara e disse para irmos para a frente da fila. Chegando na frente ficou  meio chato porque a Clara já é grande e as pessoas olham torto, mas deu tudo certo e nós entramos rapidamente. Infelizmente o carrinho não pode entrar e ficou no guarda-volumes junto com as mochilas.

Achamos o Palácio de Versailles maravilhoso, porém nossa visita foi bastante prejudicada pela multidão naquele dia. Ainda mais que estávamos com a Clara, que é pequena e quando está no chão fica sufocada no meio de tanta gente. Ela sempre queria colo, com razão, mas a gente não aguenta mais tanto tempo. Tinha comodo que os seguranças tinham que ficar mandando as pessoas andarem porque senão parava tudo atrás. 

Mesmo assim conseguimos visitar uma boa parte do interior do Palácio, sem parar muito pra admirar, apenas seguindo o fluxo. Depois fomos fazer um lanche na lanchonete e seguimos para os jardins. Nesse ponto resgatamos o carrinho da Clara para facilitar nossa vida. Entramos numa fila enorme para pegar o trenzinho que leva aos jardins. Nessa espera toda Clara ficou bastante irritada, chorou e acabou dormindo. 

Seguimos no trenzinho até o Grand Trianon. Com a Clara dormindo no carrinho passeamos rapidamente por lá e fomos andando até o Petit Trianon. Lá optamos por caminhar pelos campos até a vila Le Hameau (aldeia), uma vila construída por Maria Antonieta, segundo a história, para relembrar sua vila natal na Austria. A caminho da vila está o Templo do Amor, um pequeno templo circular no meio do campo, muito fotogênico. A vila é linda, as casas tem hortas, pomares e jardins, tudo conservado como se as pessoas ainda vivessem ali. Há um grande lago cheio de carpas e patos, moinho, e até uma fazenda. 

Clara adorou a fazenda. Tinha coelhos, patos, vacas, porcos, cavalos. Era como passear pelo passado, uma cena de um quadro. Gostamos muito dessa parte de Versailles, também foi o lugar que a Clara mais aproveitou. Depois dessa visita, já cansados, pegamos o trenzinho de volta para o Palácio, onde vimos os jardins de cima, não tivemos animo de descer até lá. Caminhamos até a estação e voltamos para Paris. O trem que pegamos na volta era todo decorado como se fossem comodos do Palácio, muito bonito. Espero um dia poder voltar a Versailles, com menos gente, e poder aproveitar e admirar todo aqueles esplendor, explorar os jardins e os outros apostentos que não fomos. 

Depois desse dia cheio e cansativo decidimos fazer um jantar em casa, passamos no supermercado e compramos uma carne e outras coisas. Achamos a carne barata demais, mas estava bonita e pensamos que se tratava de alguma promoção. Jorge fez o jantar e quando eu fui dar comida pra Clara achei a carne super estranha, tanto na textura quanto no gosto, fomos olhar na embalagem e jogamos no tradutor, era coração de boi! Estava cortado de um jeito que parecia um pedaço de carne normal e nem percebemos. Ninguém conseguiu comer, então a solução foi buscar uma pizza na esquina. hehehe

Versailles e a multidão!





Sala dos Espelhos e a multidão...

O Trenzinho


Templo do amor


Casa em Le Hameau




A Fazenda







Feira perto do apartamento

Lugar simples, mas tinha o melhor croissant que comemos!